19 de mai de 2014

Abertura da 7ª edição

Após a mesa de abertura da 7ª edição da FestiPoa, no dia 19 de maio, no Instituto Goethe, será apresentado o espetáculo "Cantos Negreiros" que reúne a cantora paulistana Fabiana Cozza, acompanhada dos músicos Luis Gama e Douglas Alonso, e o escritor Marcelino Freire, autor do livro "Contos negreiros", inspirador da apresentação que mistura músicas do repertório de Fabiana e trechos do livro de Marcelino. "Cantos negreiros" vem sendo apresentado há mais de cinco anos e para as mais variadas platéias. Em Porto Alegre será a primeira exibição da dupla.





A paulistana Fabiana Cozza, quinze anos de carreira com solidez, é considerada por críticos e público uma das importantes intérpretes da música brasileira contemporânea, sua caminhada passa pelo teatro, pela dança e pela música. Atuou em musicais com temática brasileira no início da vida artística, aprimorando sua expressão cênica e interpretação, qualidades que saltam aos olhos de qualquer espectador.
No currículo, a experiência de cantar ao lado de nomes respeitados como Leny Andrade, João Bosco, Zimbo Trio, Francis Hime, Ivan Lins, Leci Brandão, Dona Ivone Lara, Luiz Melodia e Orquestra Jazz Sinfônica, entre outros. No exterior tem sido convidada por grandes personalidades do jazz internacional entre eles, os saxofonistas Sadao Watanabe (Japão), Eli Degibri (Israel), o trompetista cubano Julio Padrón e outros.
Fabiana Cozza tem três CDs lançados e um DVD. Em 2004 fez sua estreia com O samba é meu dom - o título do CD é o mesmo de uma música de Wilson das Neves e Paulo César Pinheiro. Em 2007, lançou Quando o céu clarear, título de uma canção de Roque Ferreira, e, no ano seguinte, fez o DVD deste trabalho, contando com as participações da cantora Maria Rita e do rapper Rappin Hood. O DVD, que foi lançado em parceria com a TV Cultura, apresenta um documentário contando a trajetória da artista, sua relação com a música, suas influências, as pessoas que participam de sua estrada.
Entre os espetáculos realizados por Fabiana, destacam-se: em 2009, Fabianíssima – Tributo a Elizeth Cardoso no Auditório Ibirapuera e o Tributo a Edith Piaf ao lado da Orquestra Jazz Sinfônica; abriu o Prêmio da Música Brasileira em homenagem a Clara Nunes no Canecão – Rio de Janeiro, participou do Festival de Cultura Brasileira na Bulgária e do Music Fest Vancouver, no Canadá. Em novembro de 2011 lança seu terceiro CD “Fabiana Cozza”, com produção musical de Paulão 7 Cordas.​ Em 2013, Fabiana lançou o dvd "Canto sagrado", show gravado em homenagem à Clara Nunes. Site da cantora: www.fabianacozza.com.br.

Paulo César Pinheiro fala sobre o novo cd de Fabiana 

O CDFabiana Cozza chega ao seu terceiro CD de título homônimo completando 15 anos de carreira. O trabalho, cuja produção e direção musical são assinadas pelo arranjador e violonista Paulão 7 Cordas, traz uma intérprete madura, expressiva, brasileira e que não à toa tem conquistado prestígio e elogios do público e da crítica especializada no Brasil e no exterior.O novo trabalho traz inéditas e regravações de renomados compositores como Nei Lopes, Wilson Moreira, Wilson das Neves, Sombrinha, Wanderley Monteiro, bem como Kiko Dinucci, contemporâneo de Cozza e destaque na nova cena musical paulista. A costura do trabalho é feita valorizando a canção, explorando as possibilidades interpretativas de Cozza em meio a sambas clássicos, de amor, faceiros, cotidianos. A cantora teve a honra de receber o piano luxuoso do maestro e arranjador Gilson Peranzzetta numa parceria com Paulo César Pinheiro em “Serenata de São Lázaro”, bem como a participação de seu pai, Oswaldo dos Santos, dividindo o canto em “Narainã (Alvorada dos pássaros)”, enredo histórico na tradicional escola de samba Camisa Verde e Branco, de 1977. “Fabiana Cozza foi a grande vencedora do 23º Premio da Musica Brasileira como melhor cantora de Samba.”

Nas palavras de Paulo César Pinheiro: “Uma das vozes mais bonitas surgidas nos últimos tempos, de timbre personalíssimo, Fabiana veio pra ficar. Chegou com responsabilidade. Escolhe o repertório que quer. Sabe o que pretende mostrar. Vê-se sua mão guiando o seu trabalho. Tem firmeza. Tem postura. É séria.O disco foi feito com cuidado. As participações de Bebê e Proveta são realmente muito especiais, dando um colorido de delicadeza sutil em suas belas intervenções. A minha música com Gilson, de difícil interpretação, ficou maravilhosa. O mais surpreendente, porém, foi a voz poderosa de seu pai. Gostei demais! Deu pra ver de quem Fabiana herdou seu balanço. É um CD que recomendo e reconheço firma.” 

Nenhum comentário:

Postar um comentário