25 de abr de 2010

Programação de encerramento: hoje, domingo


Na Palavraria:

14h: Painel: Conto, imagem e construção do invisível, com Flávio Wild, Olavo Amaral e Cássio Pantaleoni;

15h: Lançamento e sessão de autógrafo de Histórias para quem gosta de contar histórias, com Cássio Pantaleoni;

16h: Bate-papo com o escritor carioca Henrique Rodrigues e Diego Petrarca e lançamento com sessão de autógrafos da coletânea de contos organizada por Henrique Rodrigues Como se não houvesse amanhã (Ed. Record). 

São vinte histórias inspiradas em músicas da Legião Urbana, cada uma escrita por um autor diferente. Além de ser uma homenagem à banda que se tornou um mito, “Como se não houvesse amanhã” é também uma amostra do que há de melhor na literatura brasileira contemporânea. A exemplo das músicas da lendária banda formada em Brasília, os contos tratam de temas universais como amor, perda, revolta, indignação, morte. E, assim como as canções da Legião Urbana, os vinte contos deste livro são delicados, profundos, inquietantes e belos. E todos foram feitos para serem lidos em volume máximo – sim, em volume máximo, tendo a Legião Urbana como som de fundo.


18h: Altair Martins conversa com Amilcar Bettega e Marcelino Freire sobre os rumos da narrativa curta.

No OX/OCIDENTE 

20h: Festa de encerramento: Marcelino Freire, Altair Martins, Monique Revillion, Paulo Seben, Dani Langer, Cris Cubas e Paola Mallmann, além das bandas Bumble Bee, Fapo e os humanóides e Suco Elétrico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário