11 de mar de 2012

Oficina Bem dita palavra


Declamar. Recitar. Ou simplesmente: dizer poesia. A oralidade está na raiz da produção poética, mas acabou perdendo espaço para a palavra escrita, eternizada no papel. A palavra dita, no entanto, tem uma força singular, somando ao poema uma voz única, particular, e revelando de uma só vez o olhar de quem escreveu e de quem diz.
Em saraus informais, em palcos ou em bares, a poesia falada surpreende e conquista. Aprender a dizer um poema é mais do que simplesmente memorizá-lo, é descobrir o seu ritmo, é buscar primeiro a emoção e só depois a razão - não é a toa que o verbo 'decorar' vem de 'do coração': só é possível guardar as palavras que nos tocam. Por isso dizer um poema, e não declamá-lo: a busca aqui é pelo dizer cotidiano, por trazer para dentro de si aquelas palavras até que elas se tornem um pouco nossas e seja possível conversar o poema, sem pompa, com verdade.
O delicioso efeito colateral é acessar emoções e sentimentos muitas vezes esquecidos na correria do dia-a-dia. Os poemas, ditos em voz alta, propiciam intensos e reveladores mergulhos pra dentro.

A oficina da poeta Maria Rezende será nos dias 20, 21 e 22 de abril. Confira no menu acima ("Oficinas") todas as informações. As inscrições já estão abertas. É só enviar email para jornalvaia@gmail.com

Bem dita palavra tem o apoio do Sintrajufe-RS.