22 de abr de 2012

Cinco perguntas para Carol Bensimon

Dessa vez nossas cinco perguntas são respondidas pela escritora Carol Bensimon! Com dois livros lançados – Pó de parede (Não Editora, 2008) e Sinuca embaixo d'água (Companhia das Letras, 2009) – e vararias participações em antologias e na imprensa, Carol vem conquistando público e crítica com sua prosa.

A escritora estará participando HOJE da mesa “Literatura se faz na universidade?”, ao lado de Luís Roberto Amabile e Augusto Paim, às 18h30m, na livraria Palavraria (dentro da programação da FestiPoa Literária). Na entrevista, a autora fala um pouco de sua nova criação literária, do evento de hoje y otras cositas más... Confira:

1. Como anda teu trabalho de criação? Vem algum livro novo por aí?
Estou escrevendo um novo romance, colocando todo o meu tempo nisso. Ao que tudo indica, será publicado no ano que vem.

2. Você vai participar da mesa “Literatura se faz na universidade?”.Em que medida a academia inspira tua literatura?
Não sou uma pessoa que costuma ler obras acadêmicas. Na verdade, larguei um doutorado no meio devido a minha incapacidade de sentir algum tipo de prazer com textos acadêmicos. Mas, sim, eu estive dentro da academia. Fiz um mestrado em Escrita Criativa na PUCRS. Foi uma boa experiência. A "dissertação" era uma obra literária acompanhada de um ensaio teórico. Foi interessante fazer o ensaio, mas acho que eu não iria além disso. Quero dizer, escrever uma tese de 300 páginas.Prefiro aplicar essa energia na ficção.

3. Em que medida Porto Alegre inspira tua literatura?
Na medida em que eu passei quase toda a minha vida aqui, então é inevitável ter memórias afetivas com certos lugares e situações, e passar parte disso para os livros. Mas a cidade não vai aparecer muito no meu próximo livro. A maior parte dele se passa durante uma viagem ao interior do Estado.

4. Há algum tempo atrás, eventos literários eram praticamente os únicos momentos em que um escritor encontrava seus leitores. Com a possibilidade da comunicação instantânea com estes através da internet, o que ainda atrai escritores a participar de eventos como a FestiPoa?
Acho que é uma comunicação diferente. Pela internet, há essa troca com leitores, que é muito gratificante para quem escreve, mas é uma troca que gira em torno de nossos livros; o leitor escreve quando gosta, quer dizer que foi tocado, dar parabéns, às vezes perguntar uma ou outra coisa. Nos eventos literários, a ideia é pensar a literatura de modo mais amplo. Você não está na mesa pra falar dos seus livros (ou só deles), mas para dar uma opinião sobre outras coisas que tocam a literatura.

5. Já que a ocasião é de festa literária, como combinar dança e leitura?
 Haha, sou a pessoa menos habilitada do mundo a responder isso. Tenho vergonha de dançar. Nunca faço isso na frente das pessoas.