26 de ago de 2012

Pedra do sono e outras pedras fundamentais

FestiPoa Literária revisitada e sampleada: "Pedra do sono e outras pedras fundamentais da poesia brasileira: bate-papo sobre a poesia de João Cabral de Melo Neto" com Antônio Sanseverino, Guto Leite e Richard Serraria. Segunda atividade da revisitada e sampleada acontece no dia 27/agosto, 19h, na Palavraria (Vasco da Gama, 165, Poa).

Sanseverino

Antônio Sanseverino. Mestre em Letras pela UFRGS e doutor em Letras pela PUCRS, com a tese "Realismo e Alegoria em Machado de Assis". É professor adjunto de literatura brasileira da UFRGS. Atualmente, vem pesquisando a poesia de Carlos Drummond de Andrade, analisando como as tensões sociais dos anos 30 e 40 transformam-se em problemas formais de sua poética. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Machado de Assis, atuando principalmente nos seguintes temas: literatura brasileira, Machado de Assis, ironia, alegoria e poesia brasileira.



Guto
Guto Leite. Poeta, músico, compositor e professor de literatura. Poeta dos livros "zero um" (2010), "Poemas Lançados Fora" (7Letras, 2007), "Sintaxe da Última Hora" (Scortecci, 2006) e "Reflexos" (FEME, 2000), além de premiado em concursos literários e presente em diversas coletâneas de poesia. Indicado ao Prêmio Açorianos (Categoria Poesia) no ano de 2010. Co-roteirista dos filmes de curta-metragem "Estado Senil" (2009), "Revés" (2008) e "Bons sonhos, Maria"(2006). Argumentista da personagem Júlio César, publicado em setembro de 2010 pela revista independente "Eixada" e em julho de 2011 na coletânea "O melhor da festa, volume 3". Linguista pela Unicamp, especialista, mestre e doutorando em Literatura Brasileira pela UFRGS. Atualmente trabalha como professor temporário de Literatura Brasileira na UFRGS. www.gutoleite.com.br.

Richard Serraria. Músico, compositor, poeta, professor universitário e agitador cultural com atuação na cena porto-alegrense há mais de 15 anos. Também tem ligações fortes com o carnaval, sendo ritmista da bateria dos Imperadores do Samba no ano de 2002 e 2003 e também da União da Vila do IAPI em 2005 e 2006. Em 2009 saiu tocando sopapo na bateria dos Bambas da Orgia. Participou do CD de Marcelo Corsetti, X Quinas, também de shows de Ricardo Pacheco e Marcelo Delacroix, tendo vencido o Festival de Samba Enredo da cidade de Caxias do Sul no ano de 2004. Tem ainda uma letra sua no mais recente CD da Ultramen, composição intitulada “A escrita da vida é uma escritura de tempos”, trabalho que foi lançado em 2006 sob o título “Capa Preta”. Também tem a composição "Perfume, pente e pensamento" em parceria com Vanessa Longoni, lançada no disco do coletivo Realidade Paralela em 2009. Como compositor ganhou o Prêmio Açorianos de 2002, por seu trabalho atrelado à Bataclã FC. Em 2005 e 2006 ganhou o prêmio de Melhor Letrista do VIII Festival de Música de Porto Alegre, também junto com a Bataclã FC, banda que recebeu o Prêmio Açorianos ainda em duas outras oportunidades. Recebeu o prêmio de Melhor Arranjo no Festival de Música de Porto Alegre em 1999 e novamente o Prêmio Açorianos de Melhor Compositor em 2006.

Serraria
Em 2008, Richard Serraria fez o lançamento de seu primeiro trabalho individual, intitulado Vila Brasil, investindo numa sonoridade acústica com leves toques eletrônicos, sob direção de Marcelo Corsetti e Ângelo Primon. Em 2009 participou do projeto Unimúsica da UFRGS tocando numa programação que teve ainda Lenine, Kassin, Fred Martins, Leandro Maia, Kristoff, Daniel Drexler e Arnaldo Antunes. Ainda em 2009 fez shows em Buenos Aires, Montevidéo, Vitória no Espírito Santo e São Paulo. Em 2010 está envolvido com o lançamento nacional do disco Vila Brasil com distribuição da Tratore e apoio do Selo Sete Sóis com assessoria de comunicação de Adriana Bueno. Paralelamente grava dois discos: o terceiro da Bataclã FC com previsão de lançamento para 2011 e o segundo solo, Pampa Esquema Novo, já com participações confirmadas e gravadas de Zeca Baleiro, Daniel Drexler e Pablo Grinjot.