7 de nov de 2012

Ivo Bender, Campos de Santa Maria do Egito



O conto, cujo trecho inicial segue abaixo, publicado no livro "Contos" (L&PM, 2011), de Ivo Bender, será lido por Camila Ali e Clarice Müller nesta quinta-feira, dia 08, às 19h, na Palavraria, na programação da FestiPoa Literária revisitada e sampleada.

Campos de Santa Maria do Egito


Lá para o Noroeste do estado, entre Cará-Mirim e Caibaté, corre um rio profundo, estreito e vagaroso. Com algumas boas braçadas, pode-se passar de uma margem à outra em poucos minutos. Isso, naturalmente, se o sujeito for um bom nadador, pois aquelas águas são traiçoeiras e, pelo que dizem, não foram poucos os que desapareceram em seus remoinhos.

Rio do Corpo é como uns o chamam. Outros dizem Arroio do Corpo. Há divergências na classificação do curso d'água, se arroio ou se rio. Também não há concordância quanto ao nome do rio-arroio. Uns afirmam que, de fato, o verdadeiro nome é Rio do Corso, alusão a um bandoleiro - o Corso - que, com seu grupo, assaltava propriedades na região, ao final do século XIX. Esse tal Corso fazia suas incursões quando informado de que os homens das granjas ou estâncias se encontravam ausentes. Chegava com seu bando no meio da noite e partia antes do amanhecer levando consigo o que pudesse roubar.